Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Para Jantar e Marmitar

Ideias simples para jantar e levar na marmita no dia seguinte

O drama da pavlova + Pavlova com creme de maracujá

Esta pavlova tem uma história engraçada.

 

Pensei que tinha desaprendido a fazer pavlovas. As últimas três não saíram nada bem, ficaram moles, nada crocantes, e uma delas quase desapareceu. Achei que andava a fazer algo errado, depois culpei o meu forno. Tinha de assumir, tinha tido sorte de principiante, as primeiras ficaram boas mas nunca mais ia conseguir fazer uma em condições. No fim-de-semana voltei a tentar irritada e uma vez mais a bicha mirrou! Disse na brincadeira: "Vou fazer todos os dias uma pavlova a ver se acerto as temperaturas de uma vez!" Claro que eu não estava a falar a sério, mas o Mulo levou a sério, até porque ele comeu na mesma a pavlova mirrada - parecia marshmallow em vez de suspiro - e por isso por ele estava tudo bem. Na segunda-feira diz-me ele:

 

     Mulo: Vais voltar a tentar não é?

     Mula: O quê?

     Mulo: Tu disseste que ias fazer todos os dias uma pavlova até acertares!!!

     Mula: Não estava propriamente a falar a sério...

     Mulo: Mas tu disseste...

     Mula: Pronto está bem, faço outra na minha folga, mas é a última se não ficar bem, não volto a fazer.

 

Veem o que aturo? Imagino a quantidade de velinhas que ele acendeu a todos os santos. É que nunca uma pavlova me ficou tão alta, e tão dura! Ficou praticamente perfeita, não fosse ter rachado de mais - era menos uns minutos de forno ligado.. Ficou branquinha, acho que nunca tinha ficado tão branca. Foi o delírio!

 

Eis o que fiz de diferente: Assumi que o erro não estava na forma como eu batia o merengue, carambas eu tinha tanto cuidado! Assumi que o meu forno me andava a assassinar as pavlovas e fui investigar o que poderia fazer. Fui para fóruns, fui para blogs, fui para todo o lado, e várias pessoas à volta do mundo com o mesmo problema chegavam a uma mesma solução: o forno não pode ser fechado!

 

Então, a receita é a mesma de sempre, regulei um pouco as temperaturas (200º iniciais, 120º após colocar a pavlov no forno) mas em vez de fechar o forno totalmente coloquei uma rolha de cortiça a bloquear a porta para que o forno não aquecesse de mais e circulasse melhor o ar e a temperatura se mantivesse constante. Confesso estava um pouco céptica, porque a minha mãe teve um forno que não conseguia fazer suspiros exatamente por o forno não fechar corretamente. Mas aqui digo-vos foi certinho e agora não há como falhar na próxima: 200º iniciais, 120º finais com porta entreaberta, vou repetir isto como um mantra.

 

E só para não vos obrigar a procurar a receita, (re)partilho convosco as quantidades.

 

Pavlova com creme de maracujá

 

1504737567864.jpg

 

Ingredientes:

  • 4 claras médias à temperatura ambiente
  • 1 colher de chá de vinagre
  • 1 colher de sopa de amido de milho (famosa Maizena)
  • 1 pitada de sal
  • 200g de açúcar
  • Papel vegetal

    Creme:
  • 200 ml de leite
  • 1 limão grande
  • 1 colher de sopa de amido de milho
  • 2 gemas
  • 1/2 chávena de açúcar
  • 2 maracujás

 

Preparação:

Pavlova

  1. Bater as claras, assim que ficarem com um pouco de espuma adicionar uma pitada de sal, que ajuda a ficarem mais firmes.
  2. Assim que as claras começarem a ficar firmes, adicionar colher a colher o açúcar e ir batendo. Fazer o teste do dedo para verificar se o açúcar está bem envolvido. [esfregar um bocado de merengue entre dois dedos para ver se ainda se sente os grãos de açúcar, a ideia é não sentir nada.]
  3. Bater até ficarem bem firmes e brilhantes e conseguir-se fazer picos com as claras.
  4. Adicionar o amido peneirado e o vinagre. Bater durante mais alguns segundos só até envolver.
  5. Colocar uma folha de papel vegetal no tabuleiro de ir ao forno e colocar o merengue no centro do tabuleiro fazendo mais ou menos um círculo - eu não desenho circulo nenhum na forma, vai tudo a olho mesmo.
  6. Levar ao forno pré-aquecido a 200º e baixar de imediato para os 120º - no meu caso deixando a porta entreaberta - deixar cozer por cerca de 1h10. Ou até começar a rachar - significa que já está pronta.
  7. Deixar arrefecer totalmente dentro do forno. 

 

Creme:

  1. Levar 200ml de leite ao fogo, adicionar as raspas de um limão e o açúcar. Deixar ferver. Acrescentar as gemas, colocando um pouco da mistura do leite primeiro junto das gemas, misturar bem e só depois acrescentar as gemas ao creme.
  2. Numa taça, colocar uma colher de sopa de amido de milho juntar um pouquinho de água e dissolver. Acrescentar ao leite mexendo sem parar até engrossar.
  3. Adicionar o sumo de um limão grande e envolver bem. Assim que começar a ferver retirar do lume.
  4. Deixar arrefecer.
  5. Assim que estiver frio, cobrir a pavlova com o molho, retirar as sementes de dois maracujás e colocar em cima do creme.

 

Bom apetite!

14 comentários

Comentar post